Translate

Centelhas de Luz - Destaque pra vocês!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Precisamos mudar!






Como vocês podem ver, demoramos a fazer uma atualização... Tenta-se reunir aqui informações importantes para todos nós, procurando ser o mais imparcial possível, quero dizer, não levantando bandeiras e demonstrando paixões fanáticas por isto ou aquilo pois cremos em algo mais além de batalhas isoladas... Cremos que o ser humano precisa primeiramente mudar dentro de si antes de tentar o mudar o mundo ao seu redor.


Ficamos honrados com visitas de países em conflito sem postarmos nenhuma informação ou protesto sobre. Compreendemos a situação em que se encontram muitos países e cidades de nossa própria nação e o desejo de poder contribuir de alguma forma grita em nosso coração.


Mas não posso deixar de compartilhar o sentimento de minha alma neste instante... A sinceridade de minha alma! Tudo o que postamos aqui pode ser encontrado no Google e com diversos modos de colocar o assunto. Mas o conjunto é uma tentativa de vencermos a nós mesmos como indivíduos para podermos atuar melhor no coletivo!


Conflitos armados, guerras, exploração infantil, tráfico de órgãos e de mulheres, sequestros, assassinatos, conspirações pelo poder, corrupção... Como pode haver ainda tudo isso entre nós - seres humanos - se temos ao nosso alcance tanta informação, tecnologia, recursos, racionalidade? Como ainda é possível ser mais importante 'ter' do que 'ser'?  Como pode ao passar do tempo e das gerações a indiferença estar tão presente?


Não importa nossa nacionalidade, nossa cultura e nossa crença... Não importa as cercas e muros que nos separam... Acima de tudo isso todos somos da mesma espécie... Todos somos seres humanos!


Nós somos a obra mais majestosa de tudo o que foi criado neste e nos demais Universos! De todos os seres existentes somos os únicos com direito a escolher e, ainda assim, escolhemos tão mau...


O ser humano é o único ser vivo que pode mover todos os músculos e nervos da face para sorrir! Somente os humanos podem sorrir! Os demais seres só podem expressar pelo olhar ou pelos sinais do próprio corpo.


Talvez por causa de seu direito de escolher, apenas os humanos podem criar a partir do nada! Seu pensamento, sua criatividade, seu raciocínio são livres e podem ir até onde desejar! Todos os demais seres seguem o mesmo ciclo constantemente. Por um lado, revela uma oportunidade única e cobiçada... Por outro revela nossa primitividade... Não sabemos ainda viver em coletividade:  não somente por si mas também pelo outro. Não somos capazes de compreender isto. Confundimos com submissão, com doação total porque sempre pendemos para os extremos, sempre é demais ou de menos... Somos incapazes de encontrar um ponto de equilíbrio... De saber a hora de dizer um 'sim' ou um 'não'... Não temos a mínima ideia de nosso valor e como a existência de um indivíduo pode afetar a todos e como todos podem realizar tanto por um indivíduo...


Provavelmente o ser humano é o único que pode se dar ao direito de crer e deixar de crer em algo... Direito de mudar sempre de opinião. Mas quando crê em alguma coisa leva aos extremos! É a proteção que reveste sua individualidade. Os humanos acreditam naquilo que os favorece pessoalmente pois, só podem gostar de algo por identificação. Então, seus atos e suas batalhadas são isoladas e limitadas... Pois quando lutam pela Natureza, não conseguem lutar pelo semelhante. Quando lutam por direitos civis, não conseguem lutar por direitos sociais. Quando lutam por ideologias, não aceitam nem respeitam nenhuma outra.  Se retiramos das bandeiras as cores, os nomes, as causas e motivos, a raiz do problema é sempre o mesmo: nós mesmos!


Então, todo bom proposito perde força e real sentido... Porque o Bem ainda se faz presente entre nós para derrubar os muros da separação, para rasgar as peles que determinam cor, para distorcer traços que determinam raça, para unificar não para manter separado.


Nossa espécie é a única que pode expressar através de todos os sentidos ao mesmo tempo o Amor! Quando olhamos as fêmeas no reino animal protegendo seus filhotes dizemos que é Amor... Na verdade pode ser apenas instinto. Nós entedemos que é Amor pois fomos concebidos em Amor, dependemos de Amor e podemos expressar Amor em todas as formas possíveis. Enxergamos Amor porque temos um lugar especial para o Amor. Nossa espécie nasceu para o Amor e onde ele está?


Nos subestimamos... Nos limitamos... Nos incompreendemos o tempo todo... Vamos nos perdendo naquilo que determinamos como valores reais! Não temos noção da proporção de nossa vibração, de nossa energia e de nossa capacidade de contagiar! Caso contrário o "Mal" não ganharia proporções avassaladoras a ponto de acharmos que o Bem é coisa rara de se ver... Não temos noção do lugar de cada um nesta terra...


Enquanto me ocupo de meus afazeres tão simplórios numa realidade tão dinâmica e moderna, sinto uma pontada no coração... Sinto tão forte um sentimento tão intenso que ele se materializa em imagem... Logo penso: é minha mente criativa? É essa capacidade toda humana de criar, inventar, imaginar? Mas sinto forte como o vento frio que entra pela janela e atravessa toda a casa... Um menino sentado em um espaço aberto... Sua pele negra esbranquiçada com a terra árida do chão onde se encontra... Ele segura um galho seco - quase esturricado - que encontrou em sua caminhada até ali. Ele tentar riscar o chão com dificuldade, mas a terra está tão seca. Ele ergue seus olhos e vê ao longe a cabana onde vive com sua mãe e seus muitos irmãos... Eles se parecem tão iguais, não por causa da cor e dos traços de sua raça... Por causa da roupa encardida e do pó sobre a pele. Sua mãe não sabe se mantém o bebê no colo ou se tenta acender uma fogueira... E ele volta a tentar rabiscar o chão, em vão. Ele não sente nada, não pensa em nada, de alguma forma ele não está ali... Está voando em seus mundos que dizem ser imaginários mas que na verdade existem dentro dele... Então, quem pode dizer que não são reais? Quer coisa mais real que lá dentro do ser? A barriguinha ronca doído... Doído que posso sentir daqui! Mas oras, você está lá naquele lugar que chamam de 'margem da sociedade'...  É... Não subestimo o ser humano... Escondida na periferia de uma cidade confusa eu vejo o menino sonhador do outro lado do oceano. Abro minha dispensa e há o que comer e beliscar mesmo sem sentir fome. Minha mente pode ir além do oceano, mas meus braços não.


Poderia avisar todo mundo do que já sabem: há crianças no mundo sentindo a dor da fome, sendo treinadas com armas, sendo violentadas e vendidas. Posso escrever e falar em riquezas de detalhes o que todas elas estão sentindo neste exato momento e a única coisa que muitos vão compreender é como isso baixa o astral, o humor e estraga o dia! Como é negativo e pessimista! Posso não dizer nada porque falar não muda nada... Posso não falar nada para permitir que todo mundo - inclusive eu - se foque na positividade das coisas e finja que já estamos no Paraíso. Mas eu já sei que o local onde se encontra Paraíso e Inferno é dentro de nós também. Nos subestimamos... Somos cada um de nós portais. Não se encontra nada ao redor, tudo está dentro!


Podemos fazer uma campanha, juntar doações de alimentos não perecíveis e enviar comida. Semana que vem a fome volta a doer porque o problema não é falta de comida, é negligência. A negligência de humanos com a própria espécie. A negligência de quem conseguiu chegar no poder e fazer algo que nunca faz. Olha lá, uma família precisa de cesta básica! Podemos dar uma todo mês! Só que na cesta não vai dignidade... Podemos distribuir quantas cestas quisermos, mas aquela família precisa de um pai de família empregado e honrado com uma mãe de família que possa vigiar seus filhos assim como as aves fazem com seus filhotes...


Não queremos mudar o mundo! Queremos que as pessoas - humanos - comecem a mudar! Precisamos  resgatar nossos reais valores! Precisamos reaprender a sermos humanos! A família não foi nos dada para povoarmos a Terra ou para nos gabarmos do quanto somos capazes de manter as rédeas curtas, ou como somos bons em mandar e desmandar ou ainda como estamos aptos a formar um cidadão. A família não existe para nos mantermos fechados em um grupo. Existe para aprendermos o que á Amor, coletividade, união e um semelhante.


Mas o mundo e a realidade vai seguindo seu curso. E mantemos aquilo de mais precioso que acreditamos sem pretensão de mudá-lo... Seguimos para não perder a própria Alma!

Nenhum comentário: