Translate

Centelhas de Luz - Destaque pra vocês!

domingo, 16 de dezembro de 2007

MARIA AUGUSTA E OS ANJOS PARA ADOÇÃO!

"Há meses tenho avisado Maria Augusta que faria um artigo para postar no Projeto. Esse final de semana entrei em contato , e confesso que cada palavra dirigida a ela me deu um nó na garganta!
E é com a mesma emoção que escrevo este artigo!"

Nada mais justo do que terminar este ano com chave de ouro, com um anjo em forma de mulher a quem devo minha dedicação aos animais.

Os Anjos para Adoção nasceu em 1998, mesmo ano em que o Projeto Adão já era uma pequena sementinha.
Em meados de agosto (de Augusta) de 2005, conheci Marcia Mc Dowell no Orkut onde o Projeto ganhou membros na internet.

E através da Marcia conheci um anjo chamado Maria Augusta!


Como o Projeto Adão é um projeto virtual de divulgação, divulgavamos os cãezinhos e gatinhos que Augusta acolhia para adoção. E para facilitar a divulgação de seu trabalho, criamos os blogs Amigo não se Compra, divulgando os pequenos de Augusta.

O trabalho da Augusta é tão sério que teve até matéria especial no Late Show com a loirinha Luiza Mel, e foi notícia no jornal!

Com o passar do tempo, fui conhecendo de perto as dificuldades que Augusta encontrava em seu caminho para salvar e dar um lar feliz aos seus. Também assisti suas frustração e tristezas ao perder para os céus algum animal... Sua alegria em conseguir uma família... Sua indignação diante da capacidade que os humanos tem em maltratar e todo descaso pelos peludinhos.


E assim, eu também aprendi o valor de cada ser neste planeta, a força de um coração guiado pelo Amor Universal para salva- los da
violência humana, a perseverança que nasce ao contemplar o olhar inocente de um animal.

Muitas vezes, eu quis deixar o Projeto Adão cair no esquecimento...

Mas ao abrir os emails de Marcia, Augusta com as fotos dos peludinhos, vendo o brilho de cada olharzinho perdido, as forças renasciam, a esperança ressurgia, e eu seguia!

E entre tantas dificuldades, Augusta também nunca desistiu!

O benefício que Maria Augusta e os Anjos para Adoção oferece não limita- se apenas aos cães e gatos que ela salva todos os dias! Esse benefício se extende a nós, relez mortais que possuímos a conciência de que acima de todos os valores
deste mundo, acima de todos os nossos problemas está a vida pedindo para ser vivida.

Maria Augusta, o que sou hoje devo muito a você e aos anjos!

Segue aqui uma entrevista com Maria Augusta dos Anjos para Adoção.
Espero sinceramente que ao ler estas linhas, você reveja seus conceitos e valores a respeito da vida, e entenda que cada ser neste planeta possuí um valor imensurável, capaz de mudar e salvar uma vida!
Como veio sua inspiração para iniciar seu projeto Anjos para Adoção?

Fiz sozinha este trabalho de resgatar e doar animais durante muitos anos. Era um trabalho de formiguinha e eu não conseguia ajudar muitos cães e gatos como gostaria. Há cerca de 8 anos conheci duas amigas, Cássia Teixeira e Cristina Marinho, que moram perto de casa e juntas resolvemos fazer um trabalho de proteção animal independente e bem mais produtivo do que eu fazia sozinha. Nós dividimos tarefas, despesas e os animais que temos para doar. Tem também a Márcia Mc Dowell que faz o Blog Anjos para Adoção. Esta é nossa equipe.


Você se lembra em que ano foi?

Nós começamos a trabalhar em equipe em 1998.


Descreva seu sentimento em ter essa brilhante idéia:

O trabalho foi sendo construído aos poucos e nós fomos aperfeiçoando e
aprendendo com nossa experiência.
No início ficávamos inseguras na hora de doar o animal e também sofríamos demais com as perdas que infelizmente são muito freqüentes.
Os animais que nós resgatamos normalmente estão fracos ou são mais velhos ou ainda filhotes muito frágeis e muitos deles morrem.
A experiência faz com que você se prepare melhor para os imprevistos.
Você ainda se lembra de seus primeiros aujinhos? Fale um pouco a respeito:
No início do meu trabalho eu adotei muitos cães e gatos. A maioria dos que tenho até hoje são desta época.
Foi quando sai de São Paulo e me mudei para a Granja Viana e pela primeira vez tive o espaço de uma casa. Resultado: enchi minha casa de cães e gatos. Deste modo, meus primeiros aujinhos estão comigo até hoje.


Quantos animais foram doados nesse ano de 2007?


Já doamos 98 animais e ainda temos 2 semanas pela frente. Como tenho vários pedidos acho que doarei mais uns 5 ou 6 até o final do ano.


Quantos ainda você tem em sua posse?
Temos aproximadamente 30 cães para doar. O problema é que alguns já estão há um bom tempo conosco e outros já estão ficando velhos.
Os que efetivamente têm chance de serem doados são uns 20 cachorros.

Os gatos já foram todos doados.

Como você fazia no início do trabalho para alojar todos os aujinhos?

Eles ficavam em casa, em clínicas veterinárias e em casas de amigos.
Hoje em dia usamos também alguns lares provisórios aqui pela região. São pessoas que têm um bom quintal e que ficam com os animais que temos para doar em troca de uma ajuda de custo. Alimentamos e castramos também os animais destas pessoas.

Onde os Anjos para Adoção estão instalados hoje?

Então, estão na minha casa, nas casas da Cássia e da Cristina e nestes dois lares provisórios que mantemos.


Conte- nos um pouco da sua luta em conseguir levar enfrente seu trabalho:

É uma luta diária.

Temos muito trabalho, muitos problemas e muita satisfação também.
Cada cão que consegue um lar e passa a ter uma vida digna é uma grande vitória.
Resgatamos animais que não tem mais nenhuma chance, que estão praticamente sem forças e os vemos depois fortes, felizes e bem cuidados.
Esta é uma sensação indescritível.


Sei que seu trabalho não reverte nenhum lucro a você... Mas o que você tem ganhado e aprendido com esse trabalho tão nobre durante esses anos?

Não só não reverte nenhum lucro, como tem muita despesa. É um gasto sem fim: alimentação, castração, remédios, etc.
Mas, o prazer de ver um animal abandonado feliz e bem alimentado não tem preço.
Depois de um tempo, eles ficam até mimados e reclamam quando a ração não é tão boa ou não tem latinha.
Isto é o máximo!
Eu fico muito feliz quando eles se tornam exigentes ... rs



Você já precisou enfrentar alguma pessoa para cumprir sua tarefa em prol de um aujinho? Pode nos contar?

Todo tempo estamos nos deparando com pessoas que não dão nenhum valor à vida e que reclamam do barulho que os animais fazem, do fato de deixarmos ração na rua quando vemos um animal abandonado, etc.
Eu para ser sincera, não dou a mínima para estas pessoas: elas são tão infelizes de se preocuparem com detalhes que não merecem que eu perca o tempo com elas.

Continuo fazendo meu trabalho da melhor maneira que posso e não me preocupo com o que pensam de mim.
Sei que estou fazendo a coisa certa.


De todos os animais que você acolheu, qual foi o caso mais inesquecível devido a gravidade do animal?


Foram tantos os casos difíceis!
Temos a Tuca, cadela que ficou paraplégica depois de ter sido jogada de um carro em movimento.
Tomás, o cachorro que foi arrastado por uma moto.
Outros que foram resgatados cegos ou atropelados e tiveram que amputar uma pata.
Há duas semanas resgatei um gatinho preto com os dois olhos furados.

Mas, acho que o caso que mais me marcou foi o do cocker Poli que ficou 3 anos preso em uma casa sozinho. Sua antiga dona vinha com um saco de ração a cada 2 meses e abria o saco ao lado das fezes do animal. Ele ficou cego e surdo depois deste tempo todo, mas não perdeu sua meiguice. Poli é um cachorro muito amoroso e tranqüilo e foi muito bem doado.


Quantos aujinhos você perdeu, deixando- a em um sentimento de frustração por não ter conseguido salvá- lo?


Muitos minha amiga. Muitos.


Diga aos nossos leitores em que a humanidade tem a ganhar com trabalhos como o seu:


Acho que este trabalho que faço, que se assemelha ao trabalho que muitos fazem com crianças ou com idosos, faz com que possamos prosseguir. Quando você percebe que sua vida tem um significado e que sua passagem pela terra não foi em vão, você tem forças para lutar e continuar vivendo com vontade e com prazer.
Sua passagem por aqui não foi em vão, entende?


O que sente cada vez que acolhe um animal?


Na verdade, no primeiro momento fico muito aflita e preocupada. Sempre acho que estou perdendo o controle e isto me assusta muito.
Mas depois, quando vejo aquele animal alimentado e seguro, fico muito feliz e confiante que eu vou arrumar um bom lar para ele.
Este lar sempre aparece, mesmo que o animal tenha que esperar um ano ou mais.


Quais os tipos de maus tratos mais frequêntes que você tem acompanhado?

Acho que o mais comum são os dos cachorros que ficaram presos em correntes e têm pavor de coleiras e de enforcadores. São animais que devem ter passado suas vidas presos e que um dia conseguiram fugir. Eles precisam de muito espaço e muita liberdade para se equilibrarem novamente.
Mas, tem de tudo: cachorros que se assustam com qualquer grito, animais muito desconfiados que demoram para confiar em você e relaxar.

Nós sempre usamos Florais e isto ajuda muito.


O que as pessoas podem fazer para ajudar os Anjos para Adoção?

Divulgar nosso trabalho

Conseguir donos confiáveis para os cães e gatos
Ajudar com ração ou pagando uma castração
Mas, acho que o principal mesmo é divulgar nosso trabalho: deste modo os nossos anjos terão muito mais chance de conseguir um lar seguro e amoroso.


Você faria tudo de novo?


Nossa, com certeza.


SE VOCÊ QUER AJUDAR A MANTER O TRABALHO DE MARIA AUGUSTA E OS ANJOS PARA ADOÇÃO É SIMPLES!

VOCÊ PODE AJUDAR DIVULGANDO E REPASSANDO O SITE DE ADOÇÃO COM TODO O TRABALHO DOS ANJOS PARA ADOÇÃO:
http://anjosparaadocao.multiply.com/
VOCÊ PODE TAMBÉM VISITAR A LOJINHA DOS ANJOS PARA ADOÇÃO NO SITE. A COMPRA DE CAMISETAS AJUDARÁ NA CASTRAÇÃO E VACINAÇÃO DOS ANJOS A SEREM ADOTADOS. CADA ANJO JÁ VAI PARA SEU NOVO LAR JÁ PRONTINHO: CASTRADO, VACINADO E VERMIFUGADO!
http://anjosparaadocao.multiply.com/photos/album/8/CAMISETA_DOS_ANJOS

E BOAS FESTAS PRA VOCÊS!

Um comentário:

Desambientado disse...

Há brilho nos pinheiros,
Como candeeiros,
Para imitar as estrelas,
As cores não são delas:
São escapadelas,
Fugazes e belas.
Que tragam:
Um Feliz Natal,
e cuidado animal,
Descomunal…

Félix