Translate

Centelhas de Luz - Destaque pra vocês!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Venda de carne de esquilo causa polêmica




Supermercado de Londres causa polêmica ao vender carne de esquiloFolha Online
Um supermercado de Londres tem causado polêmica ao vender carne de esquilo cinza, animal comum nos parques e jardins da cidade e sucesso entre os turistas.

Por se tratar de animal silvestre, a comercialização tem recebido críticas de uma entidade de proteção animal, que classificou a venda como "massacre da vida selvagem". A loja, porém, defende que, além de ser uma carne magra e saudável, é mais sustentável ecologicamente do que a de vaca, por exemplo.

"Ao contrário do esquilo, que é caçado no seu habitat, o gado de corte precisa de extensas pastagens", afirma Andrew Thornton, proprietário do supermercado Budgens em Crouch End, bairro no norte londrino.

A marca Budgens é uma franquia do grupo The Musgrave, que tem 180 pontos de venda no Reino Unido. Por ser independente, o supermercado tem liberdade para escolher o que vai nas prateleiras.

Fora de estoque
Os esquilos são vendidos a 4,50 libras por unidade (cerca de R$ 12) e mal param no estoque. "Costumo vender 15 por semana. Se tivesse mais, venderia mais, só que têm estado em falta ultimamente", diz Thornton. Ele conta que começou a oferecer o produto há seis meses para atender a pedidos de clientes. Cada unidade tem 230g e serve uma pessoa.

Alertada por um consumidor, a entidade britânica “Viva!” lançou recentemente uma campanha de conscientização contra a venda da carne. Em nota, afirma que "os esquilos pertencem às árvores e não aos pratos e que é vital alertar as pessoas de que o seu consumo não é aceitável".

Para a empresa que fornece esquilo ao mercado, a Wild Meat Company, a ONG escolheu o animal errado. "O esquilo cinza, originário da América do Norte, foi introduzido no Reino Unido e acabou tomando o lugar do vermelho. Ele se reproduz facilmente e é visto como uma peste nas fazendas, come os frutos e, às vezes, os ovos de aves", afirma o caçador e sócio da companhia Robert Gooch.

A entidade rebate o argumento: "matar milhares de esquilos cinzas para aumentar a população dos vermelhos é irracional, desumano e fadado ao fracasso, porque eles se reproduzem rápido", afirma a zoologista e fundadora da “Viva!”, Juliet Gellatley.

A ONG afirma não ter conhecimento de outro supermercado que venda esquilo, mas diz que pode ser encontrado no cardápio de alguns restaurantes. "Essa moda de comer animal silvestre é desnecessária e cruel."

Apesar da controvérsia, Thornton pretende continuar vendendo os esquilos no seu supermercado. "Com a visibilidade que o assunto tomou, eu conseguiria certamente vender umas 200 unidades por semana. Pena que não tenha em estoque por enquanto."

O sócio da The Wild Meat Company explica que às vezes o esquilo fica em falta porque há outros animais a serem caçados, mas que logo a carne é reposta. A empresa, que não é a única a oferecer esse tipo de produto no Reino Unido, também comercializa outros animais, como faisão, pato, coelho, lebre, perdiz e cervo.

Nenhum comentário: