Translate

Centelhas de Luz - Destaque pra vocês!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Televisão incita jovem a engravidar mais cedo


O conteúdo apelativo incentiva o sexo desprotegido Reforce o alerta contra programas com conteúdo sexual.

A pesquisadora Anita Chandra acaba de liderar um estudo que mostra a estreita relação entre a programação da TV e a gravidez precoce. As conclusões, publicadas na revista da ONG americana RAND, indicam que apenas uma conversa com teor sensual já atinge as adolescentes, que têm duas vezes mais a chance de ficar grávida nos três anos seguintes.

O problema desses programas, segundo os autores do trabalho, é que eles apresentam cenas de sexo, mas sem esclarecer sobre os riscos e a responsabilidade que também devem envolver o momento. O estudo acompanhou os hábitos televisivos e sexuais de dois mil adolescentes entre 12 e 17 anos de idade durante três anos. Em 700 participantes, foi nítido o impacto dos programas televisivos na vida sexual e no histórico de gestações.

A pesquisa envolveu a análise de 23 atrações, incluindo dramas, comédias, reality shows e programas de auditório. É possível notar que o conteúdo sexual dobrou nos últimos anos, porém as informações sobre a prática irresponsável não é mostrada, esclarece Anita Chandra.

Outro fator que mostrou ser extremamente importante é a participação dos pais no cotidiano dos adolescentes, informando a importância dos métodos anticoncepcionais. Isso reduz os índices de gravidez precoce, quando comparado com outras situações familiares.

As pesquisas mostram que as mães adolescentes têm mais propensão do que outras meninas a abandonar a escola, precisar de benefícios e viver na pobreza. No Brasil, o problema é discutido na novela A Favorita, com a personagem Mariana.

A psicóloga Fernanda Grimberg, da Clínica Luisa Catoira, lembra que mesmo não sendo uma gestação programada, o momento é de suporte. Ajudar a filha a amadurecer para poder cuidar de seu próprio filho é papel fundamental dos pais.

Só vale lembrar que apoio não significa fazer pelo outro, e sim, dar suporte, direcionar. A adolescente precisa ficar ciente de suas responsabilidades.

Fonte: HotNews

Nenhum comentário: